Entre em contato conosco:
41 3015-0841 | 41 98514-7134

Cury Clínica Odontológica

Blog

Trauma em dentes de crianças e adolescentes, como agir?

  • Odontopediatria
  • 13 de dezembro de 2018
  • Dr. Marcio Gulin Cury

1) O que fazer quando a batida deslocar parcialmente o dente de leite para for da cavidade alveolar?

O profissional que atenderá a criança deve avaliar no momento o grau de deslocamento do dente de leite, sua mobilidade, o grau de formação da raiz e o quanto a criança coopera no atendimento de emergência. Para deslocamento pequenos, até 3mm, o Cirurgião Dentista

Pode realizar um cuidadoso reposicionamento da parte deslocada, tentando lentamente recolocar o dente de leite no lugar de origem. Nessa situação, o dente de leite será mantido na boca, mas um criterioso controle clínico e radiografias periódicas devem ser realizados após essa tentativa. Em casos de extrusão severa, nos quais o deslocamento é grande para fora da cavidade alveolar, a extração do dente de leite pode ser a melhor indicação.

 

2) O que fazer quando a batida deslocar o dente de leite para dentro da cavidade alveolar?

Nesses casos, uma radiografia é muito importante, pois o Cirurgião Dentista poderá observar se o dente se deslocou em direção aos dentes permanentes ou desviou sua trajetória. Se a imagem da radiografia sugerir que o dente de leite está na direção do permanente ou encostou nele, a extração do dente de leite será realizada, pois a manutenção do dente de leite poderá trazer prejuízos à dentição permanente da criança. Caso o deslocamento do dente de leite seja em outra direção, o dente de leite pode voltar aos poucos, sozinho à direção original.

 

3) O que fazer quando a batida deslocar totalmente o dente de leite para fora da cavidade alveolar?

Quando ocorre o deslocamento total do dente de leite para fora da cavidade alveolar, mesmo que os pais encontrem o dente e o levem ao Cirurgião Dentista,

Independente do tempo e da maneira que o dente chegue ao consultório, o reimplante não deve ser feito, pois os riscos incluem: contaminação, toque no dente permanente na tentativa de reimplantar o dente de leite e atraso no nascimento do dente permanente.

 

 EM CASOS DE DENTIÇÃO PERMANENTE

 

1) O trauma dentário é um problema odontológico comum?

Infelizmente, o trauma dentário é uma preocupação

 

Odontológica, pois cada vez mais crianças e adolescentes são atingidos por esse problema, com sérias repercussões estéticas, funcionais e emocionais. Por um lado, é bastante motivado pela prática crescente de atividades como bicicleta, skates e artes marciais; por outro, é resultado de maus-tratos, situação cada vez mais recorrentes. Na maioria das vezes, o traumatismo envolve mais de um dente e não é incomum ocorrer mais de um tipo de trauma no mesmo paciente – politrauma dentário.

 

2) O que fazer a pessoa levar uma batida no dente, ele não sair do lugar, mas ficar mole?

Na subluxação, o impacto tem uma força maior, as fibras do ligamento periodontal podem ser rompidas, resultando em aumento de mobilidade do dente traumatizado e um pequeno sangramento a parti do sulco gengival. O dente não é deslocado, porém a presença de edema na região apical poderá causar uma discreta extrusão dentária. O dente apresenta sensibilidade ao toque. No exame radiográfico, não se observa nenhuma alteração tanto na concussão como na subluxação. O tratamento envolve o alívio das interferências oclusais, com orientação de uma dieta macia por pelo menos 15 dias. A contenção semirrígida é recomendada e não deve ser realizada pelo Cirurgião-Dentista por um período prolongado, principalmente em dentes com formação radicular incompleta (dentes jovens). Ele pode receitar um anti-inflamatório para amenizar a dor.

 

3) O que fazer quando a batida deslocar parcialmente o dente para fora da cavidade alveolar?

Numa extrusão dentária, ocorre a ruptura das fibras do ligamento periodontal, podendo resultar em interrupção do suprimento neurovascular da polpa. Quando o deslocamento for pequeno - aproximadamente 1 a 2 mm – e o tratamento iniciado algumas

Horas depois do acidente, é preferível não colocar o dente no lugar. A possibilidade de manter o dente em sua nova posição e adequá-lo esteticamente à nova oclusão (ajuste incisal) reduz as sequelas pós-traumáticas. Se houver mobilidade, é imprescindível efetuar contenção semirrígida por 15 dias. Em casos de extrusão maior que 3 mm e o intervalo de tempo entre o trauma e o atendimento inferior a 4 horas, recomenda-se o reposicionamento imediato de dente e utilização da contenção semirrígida por duas semanas. O reposicionamento deve ser realizado o mais rapidamente possível por meio de pressão digital, delicada e contínua, no sentido apical, para deslocar gradualmente o coágulo formado entre o ápice radicular e o fundo alvéolo.

 

4) O que fazer quando a batida deslocar totalmente o dente para fora da cavidade alveolar?

Esse é o mais crítico de todos os traumas dentários, pois se o dente não for corretamente manipulado, o paciente pode perde-lo completamente em questão de meses em virtude de reabsorção radicular. O tratamento ideal para o dente avulsionado é seu reimplante: recolocação imediata do dente em seu alvéolo. A grande vantagem desse procedimento é a manutenção desse dente na boca, propiciando o restabelecimento estético e funcional, além do ganho psicológico, pois deve-se considerar que a faixa etária mais afetada por esse tipo de trauma é de 7 a 15 anos, e os dentes mais atingidos são os incisivos centrais superiores.

Faça seu Agendamento